Nutrição na Prática, com Vinícius Quintela – Alimentos ultraprocessados

Hoje em dia, é bem comum você aderir na sua rotina um ou outro alimento Ultraprocessados, como uma forma rápida e prática de fazer uma refeição. Mas quais males esse consumo desordenado e frequente pode acarretar na sua saúde ?

Para aprofundar nesse assunto, vamos primeiro entender o conceito de Ultraprocessados. Existem 4 formas de processamento em que o alimento se apresenta.

*In natura:* é a forma natural que encontramos ele, sem nenhum tipo de beneficiamento ou processamento.

Ex. Um cacho de uva recém colhido (não sofreu nenhuma alteração na sua estrutura ou composição).

*Minimamente processados:* passam por modificações leves na sua apresentação, geralmente modificações físicas como uma limpeza, secagem ou resfriamento, como também algum processo de fermentação simples.

Ex. Suco integral de uva (foi apenas beneficiado e processado).

*Processados:* sofrem alteração mais significativa na sua apresentação ou composição, como a adição de açúcar, sal, óleo ou procedimentos físicos como a cocção. Porém, ainda conseguimos identificar a matéria prima principal dessa preparação.

Ex. Uma geleia de uva (foi submetida ao cozimento e teve adição de açúcar na sua composição).

*Ultraprocessados:* passam por várias etapas de mudanças físicas e tem adição de agentes químicos como aditivos (espessantes, aromatizantes, corantes) entre outras matérias primas, até não se identificar mais o ingrediente principal utilizado.

Ex. Suco de uva em pó 

O consumo e a procura desses alimentos Ultraprocessados vem crescendo cada vez mais, o principal motivo é a diferença exorbitantes de preço entre eles e os alimentos in natura, logo que os processados tem um preço bem mais acessível. Outro motivo é a praticidade do consumo desses alimentos, se você deseja um sorvete, é mais rápido e fácil você comprar ele no supermercado do que comprar a fruta e preparar em casa. 

O consumo excessivo desses alimentos está diretamente ligado a doenças metabólicas como diabetes e hipertensão, justamente por conta das quantidades exorbitantes de açúcar e sal que compõe os Ultraprocessados, logo relacionamos também com o aumento da obesidade pela alta densidade calórica deles. Alguns estudos recentes já associam o consumo de Ultraprocessados com diversos tipos de câncer como o de mama, o de próstata, o de estômago e intestino, entre outros. Isso se dá pelo uso dos aditivos químicos, como os corantes e espessantes que já são conhecidos pelos prejuízos à saúde.

Não é que o consumo desses alimentos vai obrigatoriamente lhe trazer os malefícios, mas sempre temos que ter o cuidado com as quantidades ingeridas e a frequência. O cuidado é essencial, principalmente com as nossas crianças, pois a maioria das propagandas divulgadas na grande mídia, tem como público alvo os pequeninos. De qualquer forma, dê sempre preferência aos alimentos menos processados possíveis, visando claro, uma alimentação mais saudável.

“Desembale menos, descasque mais”.

E não esqueçam, peguem todas essas informações e Vamos Pôr na Prática !!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + 1 =