Polícia investiga suspeito de fingir ser irmão do Padre Marcelo Rossi para aplicar golpes em agricultores no CE

Caso é investigado pela Delegacia de Várzea Alegre. De acordo com algumas das vítimas, o suspeito chegava com outra pessoa e pedia para fazer orações nas pessoas e dentro da residência, dizendo que multiplicaria o dinheiro da família.

A Polícia Civil do Ceará investiga um homem suspeito de fingir ser irmão do Padre Marcelo Rossi para aplicar golpes em agricultores em Granjeiro, a 460 km de Fortaleza. De acordo com algumas das vítimas, o suspeito chegava com outra pessoa e pedia para fazer orações nas pessoas e dentro da residência, dizendo que multiplicaria o dinheiro das pessoas.

“Ele reza nas pessoas e se veste todo de branco. Ele diz que é irmão do Padre Marcelo Rossi. Ele chega falando isso nas casas. Pega as pessoas mais humildes e ‘enrola'”, explica o agricultor Cicero Moreira Filho, que teve a irmã como vítima do golpista. Na ocasião a dupla levou R$ 1.500.

“Estava trabalhando quando chegaram duas pessoas. Um homem moreno e perguntou primeiro se no local vendia mel de abelha. Aí ele perguntou se o povo da casa conhecia o Padre Marcelo Rossi. Aí respondi que só pela televisão. Aí mostrou o homem que seria irmão do Padre Marcelo. Aí desceu esse rapaz com jaleco branco e começou a rezar. Fazer uma oração. Perguntou se a gente tinha dinheiro. E pediu para buscar e contar. R$ 1.500″, disse.

Segundo Cícero Moreira, ele pegou o dinheiro e pediu para contar. Enquanto falava, ele pegou as cédulas e colocou em um pacote, onde dizia que o dinheiro seria “encantado” para que fosse multiplicado.

“Aí ele pediu para minha irmã contar e depois pediu para contar o dinheiro. Fez um cartucho com vários pacotes. Pediu um pano fino e pegou os cartuchos de dinheiro e disse para abrir às seis horas da tarde. Quando a gente foi pegar o dinheiro, só tinha o papel”.

Um familiar de outro agricultor afirmou que o golpista levou R$ 3.600.

“A vítima é uma prima minha. Ela tem até um pai acamado. Descobriram alguma coisa que ela cuidava dele e que tinha décimo terceiro salário guardado ou coisa assim. Chegou dizendo que ia rezar nele, aumentar os bichos, e essas enroladas. Aí levou dela R$ 3.600”, relatou.

O agricultor Francisco Rodrigo é outro que foi visitado pelo estelionatário. No entanto, o agricultor se recusou em dar dinheiro.

“Chegaram aqui dizendo que procuravam uma pessoa para tratar da vista. Um ficou aqui na porta e outro dentro do carro. O que estava na porta falou que o que estava no carro era irmão do Padre Marcelo Rossi. ‘Posso chamar ele aqui para fazer umas orações? ‘Aí eu disse que pode sim. Pediu dinheiro para uma igreja e eu disse que não dava, pois eu tenho minhas obrigações, e foram embora”.

Investigações

Sobre o assunto, a Polícia Civil informou que investiga supostos casos de estelionato que teriam ocorrido no município de Granjeiro. As investigações estão a cargo da Delegacia Municipal de Várzea Alegre.

Por meio de nota, a assessoria do sacerdote informou que não tomou conhecimento desse caso e é público que o Padre Marcelo Rossi tem apenas duas irmãs.

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas pelo telefone (88) 3541.2397, da Delegacia Municipal de Várzea Alegre.

As informações também podem ser encaminhadas para o número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ou para o (85) 3101-0181, que é o número de WhatsApp, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem, áudio, vídeo e fotografia. Fonte: G1CE

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − 12 =