Proposta de concurso público apresentada pela gestão municipal é aprovada na Câmara de Vereadores de Várzea Alegre

A quantidade de vagas aprovada pelos vereadores deixou a população frustada, pois a expectativa era que o número de vagas fosse pelo menos o dobro

Após muita pressão popular, o prefeito de Várzea Alegre Zé Helder (MDB), que inicialmente havia protocolado na Câmara de Vereadores uma proposta de concurso público municipal com um número de vagas bem aquém da necessidade do município, recuou retirando o projeto, acrescentando mais algumas vagas e em seguida reapresentando-o para avaliação dos edis.  

Por ocasião da primeira apresentação à Câmara, dia 8/11, se tratando do PL 051/2023, eram 76 vagas. Com grande repercussão negativa da quantidade irrisória de vagas nas redes sociais, situação essa relatada pelo correspondente da Rádio Escotilha, Leonardo Fiúza, no Jornal Escotilha, no dia 22/11 o gestor mandou retirar o projeto da votação, com a desculpa de que iria fazer outro levantamento. Já no dia 29/11, o projeto, reavaliado pela gestão municipal, foi reapresentado através do PL 051/2023, com a disponibilidade de 104 vagas, ou seja, 28 a mais que a proposta anterior.

Mesmo assim, o pequeno aumento das vagas continuou frustando a população, que esperava um concurso com mais de 200 vagas.

Durante a participação no Jornal Escotilha, Leonardo Fiúza apresentou, através de números, as deficiências de vagas efetivas por setor, esmiuçando cada detalhe, comprovando que de fato as vagas propostas estão bem abaixo da real necessidade do município.

“Como sabemos é costume de algumas gestões municipais adotaram a prática de realizar contratações excepcionais de servidores sem concurso público para preenchimento dos serviços desempenhados pelo município”, disse Leonardo Fiúza.

“Além de ser questionável sob o ponto de vista da moralidade administrativa, a prática traz prejuízos à eficiência e à continuidade dos serviços públicos”, finalizou Leonardo.

Votação

O vereador Luís do Conselho líder da bancada de oposição, liberou os vereadores para votar de acordo com as suas próprias convicções.

O vereador Pedro Bitu discursou contrário ao Projeto de Lei. Na sua fala o edil disse que no PSF do Distrito do Ibicatu, onde reside, tem vagas para concurso de auxiliar de serviços gerais, vigia e auxiliar administrativo, e que as vagas não foram lançadas. Entretanto, um fato curioso foi que mesmo o vereador discursando contra a PL o seu voto foi a favor da proposta.

O único vereador que votou contra o projeto foi Michael Martins.  O mesmo ainda tem esperança na justiça, pois segundo ele o Promotor de Justiça do município, Dr. Thiago Campelo, se reunirá com os representantes jurídicos do município para tirar algumas dúvidas sobre o motivo da disponibilidade apenas dessas poucas vagas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis − três =