Ciclista atropelado na ponte de Chico Piau morre após cinco dias internado

Em estado grave, ele estava internado no Hospital Regional do Cariri, mas não resistiu aos ferimentos; família precisa de ajuda para o sepultamento

por Redação EscotilhaNews

Morreu na madrugada desta quinta-feira (04), no Hospital Regional do Cariri,  em Juazeiro do Norte, o ciclista Clébio Lira Sales, 53 anos,  que foi atropelado no início da noite do último sábado (30/03) na BR 230, próximo à ponte de Chico Piau, no município de Várzea Alegre/CE. O homem se encontrava internado no HRC desde o dia do acidente. Ele era natural de Várzea Alegre.

O ciclista de 53 anos ficou gravemente ferido após ser atropelado no início da noite do último sábado nas proximidades da ponte de Chico Piau, BR 230, saída para Lavras da Mangabeira. O acidente ocorreu em um trecho reto. A vítima foi socorrida por uma ambulância do SAMU e levada para o Hospital São Raimundo Nonato. Devido à gravidade dos ferimentos, o homem foi transferido para o Hospital Regional do Cariri.

De acordo com informações do Boletim de Ocorrência, a Polícia Militar foi acionada via telefone de emergência (190), relatando que havia ocorrido um acidente de trânsito envolvendo uma motocicleta e um ciclista, sendo que a vítima se encontrava caída e inconsciente. No local, os militares se depararam com o condutor da moto, Zotto Freire Gurgel, 43 anos.

Segundo o condutor da motocicleta, o mesmo trafegava sentido Várzea Alegre ao seu sítio, na BR 230, quando chegando próximo à ponte de Chico Piau, o ciclista se jogou na frente de sua moto, e mesmo tentando desviar, a bicicleta bateu na lateral da motocicleta, vindo a cair. Zotto informou ainda que imediatamente parou e prestou assistência no sentido de chamar o SAMU para socorrê-lo.

Solidariedade

O enterro será realizado em Várzea Alegre. A família do ciclista está precisando de ajuda para realizar o enterro de Clébio.

Quem tiver disponibilidade em ajudar poderá fazer um PIX para o número (88) 99373-0952, em nome de Rosemary Lira Sales, irmã da vítima.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três − três =